Da prevenção ao tratamento: HGF promove evento de conscientização sobre AVC

3 de novembro de 2022 - 12:10 # # #

Texto e fotos: Felipe Martins
Arte gráfica: Herbert Nunes


Ação foi realizada por profissionais do Serviço de Neurologia e da Unidade de AVC do HGF

“Como qualquer outro acidente, o acidente vascular cerebral (AVC) pode ser evitado na maioria dos casos”, destacou a coordenadora de Enfermagem da Unidade de AVC do Hospital Geral de Fortaleza (HGF), Nair Corso, durante ação de conscientização sobre o problema. O evento, que faz alusão ao Dia Mundial de Combate ao AVC, comemorado no último dia 29 de outubro, aconteceu na manhã desta terça-feira (1º), na recepção principal do equipamento da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) gerido pela pela Fundação Regional de Saúde (Funsaúde Ceará).

Em cerca de 90% dos casos, o AVC pode ser evitado, e a maior aliada da prevenção é a informação. “É preciso ter conhecimento dos fatores de risco, dos sintomas manifestados e de quais procedimentos devem ser tomados em situações suspeitas”, pontuou. “Por isso a importância desta ação de hoje.”


Enquanto aguardava ser chamada para outro procedimento, Cledenice Moreira, 45, assistiu à apresentação e compartilhou um caso familiar. “Meu sogro gostava muito de ‘farrear’, saía para beber, comia alimentos gordurosos, mesmo com pressão alta. Há dois anos, sentiu-se mal, foi levado a um posto de saúde e caiu no chão antes de chegar. Passou dois dias internado no Hospital Regional Norte (HRN) por conta de um AVC e hoje possui sequelas. Não consegue mais levar a vida que tinha”, relatou a dona de casa residente de Tapeuraba, distrito de Sobral, a 206 km de Fortaleza.

O caso narrado por Cledenice não foge das estatísticas. De acordo com a Sociedade Brasileira de Doenças Cerebrovasculares, cerca de 70% das vítimas não
conseguem retomar as atividades rotineiras.

“Cada Minuto Conta”

Com o tema Cada Minuto Conta, a campanha, que distribuiu material informativo aos pacientes do HGF, faz referência ao fato de que para uma pessoa acometida por AVC, quanto maior o tempo sem intervenção médica, maior o risco de sequelas, garantem os profissionais. Por isso, a importância de buscar imediatamente uma unidade de saúde.


“Caso você identifique alguém apresentando esses sintomas em um ônibus, em um terminal, em casa ou em qualquer outro lugar, é importante ligar para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) ou levar essa pessoa rapidamente a um hospital”, ressaltou a enfermeira Mayra Gama durante a apresentação.

Atendimento de referência

O HGF possui emergência de porta aberta 24 horas com profissionais especializados no atendimento a pacientes que tenham sofrido AVC. Há 13 anos em atividade, a Unidade de AVC do hospital é a única do Brasil a ter uma Enfermaria exclusiva para tratamento de AVC hemorrágico. São 15 leitos dedicados para este tipo e 20 para AVC isquêmico. Anualmente, mais de dois mil pacientes são atendidos no equipamento.