HGF dá início à programação que celebra os 53 anos da unidade

23 de maio de 2022 - 16:07

Texto: Sílvia Bessa / Fotos: Felipe Martins

Estiveram presentes na solenidade de abertura (da esquerda para a direita): Manoel Pedro Guimarães, diretor-presidente da Funsaúde Ceará; Daniel de Holanda Araújo, diretor-geral do HGF; cantor Waldonys; Marcos Gadelha, secretário da Saúde do Estado; Judith Caetano, diretora técnica do HGF; Eliardo Silveira, presidente da Seap do HGF

Para celebrar o aniversário de 53 anos do Hospital Geral de Fortaleza (HGF), o estacionamento da unidade da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) fez-se palco. Nos corredores, pacientes e profissionais de plantão vinham ver Waldonys cantar a saudade, exaltar o amor, falar de sonhos, fazer da música oração. A sanfona evocando o sertão no maior hospital da rede pública do Estado. O cantor cearense, também embaixador da Santa Dulce dos Pobres, fez balançar. A abertura também contou com hasteamento da bandeira ao som do hino nacional executado pela Banda de Música da Polícia Militar do Ceará.

A programação continuou no auditório principal da unidade, reunindo trabalhadores, gestores e parlamentares. “Ser o maior e melhor hospital da Rede SUS [Serviço Único de Saúde], maior formador de recursos humanos do Estado, são conquistas que foram alcançadas pelo trabalho árduo de muitas mãos. A união de esforços e o compromisso coletivo fizeram com que o HGF viesse a ocupar a posição de destaque durante a pandemia da covid”, pontuou o médico Eliardo Silveira, presidente da Seção de Ensino, Aperfeiçoamento e Pesquisa (Seap) do HGF. A diretora técnica do hospital, Judith Caetano, também sublinhou a importância do trabalho em equipe na superação dos desafios. “Somos fortes e, principalmente, resilientes”.

Leia mais: Comemoração segue até dia 27

História e ousadia

Manoel Pedro Guimarães, diretor-presidente da Fundação Regional de Saúde (Funsaúde-Ceará), instituição que administra o equipamento hospitalar, relembrou a história do HGF e a ousadia de seu projeto, comprometido desde sua criação com o que havia de mais avançado em assistência para a população. Ele mencionou que, nos próximos 15 meses, por meio da Fundação, mais de 2.300 profissionais selecionados em concurso serão incorporados à unidade, qualificando o vínculo trabalhista. “É mais um passo em direção à modernidade”, avaliou.

Política de Incentivo Hospitalar

No evento, o secretário da Saúde estadual, Marcos Gadelha, parabenizou a equipe que faz o HGF e destacou os esforços para ampliar a capacidade de atendimento, além de oferecer serviços com mais qualidade. Dentre outras políticas, o gestor citou o incremento no repasse feito a municípios que têm hospitais de médio porte. O valor anual, que antes da pandemia era de R$ 290 milhões, hoje é de R$ 500 milhões.

“A gente acredita que só fortalecendo a rede de forma descentralizada, ou seja, fazendo a atenção à saúde chegar de forma mais próxima de onde as pessoas residem, é que a gente vai melhorar, vai conseguir diminuir a sobrecarga no HGF, nos hospitais de Messejana e César Cals (ambos da Rede Sesa)”.

 

Valorização profissional

Durante palestra magna, Daniel de Holanda Araújo, diretor-geral do HGF, falou sobre a necessidade de valorização profissional efetiva. “A gratidão aos profissionais da Saúde é logicamente muito bem-vinda, mas nenhum de nós é herói, porque o herói dá ideia de imortalidade, de pessoa que não se afeta com nada. O que queremos é que as coisas andem, que os processos aconteçam e que o reconhecimento seja colocado de maneira objetiva”, disse. Ao fim, ele ressaltou o crescimento do hospital ao longo dos 53 anos. “O HGF e todos nós somos maiores do que éramos antes e estamos melhores do que éramos ontem”.